4 de mar de 2009

Resumo de notícias: 2 de março

Prosseguindo com a tradução do News Roundup do Ukrainian Canadian:

Política

O presidente ucraniano Victor Yushchenko e o presidente polonês Lech Kaczynski estiveram presentes nos eventos em memória às vítimas da tragédia que aconteceu há 65 anos atrás na vila Huta Peniatska, distrito de Brody. (modificada para descrever o evento que já aconteceu)

A Rússia publicou um DVD e um volumoso livro com documentos históricos para questionar as afirmações de que o Holodomor foi um genocídio. De todas as mais de 90 agências de notícias que publicaram esta história, apenas uma mencionou o Holodomor. De qualquer maneira, ninguém está aceitando essa história, a não ser que você seja a Rússia.

A Rússia cancelou um acordo de 1992 para compartilhamento de informações de radares no ano passado, afirmando que os sistemas eram obsoletos e que seria "impensável" ter tais instalações em um país anseiando o ingresso à OTAN.

Economia

Algumas companhias privadas não estão pagando os salários a seus funcionários, o que fez com que Yulia Tymoshenko ameaçasse-as de nacionalização. (na notícia origial também é usado o termo "re-privatização")

7 de março é a data limite para a ucraniana Naftohaz pagar os 400 milhões de dólares de débito à russa Gazprom, e a companhia alertou na semana passada que poderia declarar moratória de seus empréstimos. A extorsão ficou bem clara para mim (ukrcdn): A Rússia poderia requisitar à Ucrânia que pague seus débitos permitindo que a Rússia compre uma parcela dos gasodutos ucranianos. "A Gazprom tem fixado seus olhos em nossos gasodutos para a Europa por anos", disse um oficial ucraniano à New Europe, falando em condição de anonimato. A Naftohaz questionou a Gazprom a respeito de comprar menos gás natural neste ano do que foi previamente acordado. O cabinete de Tymoshenko planeja nacionalizar as "companhias de aquecimento" que não conseguirem pagar os preços estipulados pelos acordos a respeito do gás com Moscou.

O FMI afirmou que planeja ajustar o programa de empréstimo da Ucrânia, para incluir um maior déficit orçamentário e refletir a piora da situação econômica. O IMF interrompeu o prosseguimento de um empréstimo do início de fevereiro, depois que Tymoshenko recusou a cortar gastos, resultando no rebaixamento por agências de classificação de risco. O Partido das Regiões (PoR), recusou-se a assinar uma carta ao FMI.

Victor Yushchenko promulgou uma lei dando às editoras nacionais de literatura ucraniana o direito de alugar infraestrutura municipal ou estadual sem participar de processo de concorrência.

Yatseniuk afirmou que o déficit do Fundo de Pensão é de 17 bilhões de Hryvnias. O Banco Nacional da Ucrânia afirmou que o PIB caiu 20%. O Comitê Ucraniano de Estatísticas de Estado informou que os salários caíram em média 16,9% em janeiro de 2009. As coisas não parecem melhorar tão cedo.

Mundo

Eis que foi o rico oligarca Viktor Pinchuk quem pagou o resgate de 4 milhões de dólares para o seguro retorno da tripulação do navio Faina, que foi seqüestrada por piratas somalis.

O senador americano Jack Reed ressaltou a importância de se manter fortes relações entre EUA e Ucrânia, em um discurso durante um fórum organizado pela Fundação Ucraniana para a Governança Efetiva.

--

Agora um complemento meu a respeito desta última a respeito das relações EUA-Ucrânia. O blog Ukrainiana tem observado ultimamente uma notável mudança de posição dos EUA em relação à Ucrânia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário